O que faz de O Segredo dos Seus Olhos o filme vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro (batendo o mais que favorito alemão, A Fita Branca), de 13 prêmios da Academia de Artes da Argentina, de 2 Goya, de 5 prêmios no Festival de Cinema de Havana e ser, ainda, o filme mais visto na Argentina?

Dirigido por Juan José Campanella (da obra-prima O Filho da Noiva), o novo longa do diretor argentino traz, novamente, o seu ator predileto Ricardo Darín em uma história que mistura – acreditem – diversos gêneros em uma obra certa, redonda e emocionante. Thriller, policial, ação, romance e comédia casam de forma esplendorosa em um filme dirigido com garra e sustentado por todas as arestas audiovisuais possíveis.

A trama, baseada no romance La Pregunta de Sus Ojos, de Eduardo Sacheri, foi adaptada para as telas pelo próprio autor, junto com Campanella e conta a história de Benjamin Espósito (Ricardo Darín), um investigador aposentado que, 25 anos depois de um crime brutal, decide escrever um livro sobre o ocorrido e que foi encarregado de desvendar junto com Irene (a bela Soledad Villamil) e o amigo Sandoval (Guillermo Francella).

Pode parecer uma história novelesca e simples, que não chamaria a atenção em sua elaboração, caindo em uma mistura de homem-em-crise-de-meia-idade-que-tenta-resolver-o-passado, mas a história jamais chega a cair no lugar comum ou na perda de ritmo. Pelo contrário, mostra que Campanella buscou uma boa história e arrancou empatia dos personagens envolvidos no crime.

Desde os dois amigos (um centrado e outro alcoólatra), até a paixão que Benjamin sente em silêncio por Irene, passando pela história que envolve a doce Liliana (Carla Quevedo), friamente assassinada, e o viúvo desta, o apaixonante e apaixonado Ricardo (Pablo Rago), até retratar a cúpula jurídica que envolve corrupção, impunidade e abuso de poder, personificada com maestria pelo vilão Romano (Mariano Argento). Tudo se encaixa e se completa com perfeita veracidade.

Claro que existe a crise de conseguir escrever sobre um assunto tão complexo e pessoal, mas o filme não se apega a isso e vai mostrando como a vida de Benjamin foi alterada por conta desse crime, que o tocou e indignou tanto. E nesse vai e vem temporal de fatos passados e presentes, Campanella traz personagens carismáticos, em que torcemos, nos tocamos, sem jamais apelar para o choro forçado ou para a crueldade do assassinato.

O Segredo dos Seus Olhos mostra pessoas normais, em uma situação limite, que reagem, têm sentimentos tão humanos quanto os de seus espectadores. Ódio, indignação, vingança, amor, amizade e violência, inerentes a nós e aos personagens do longa, trazem detalhes minuciosamente bem cuidados. Seja no plano sequência de cinco minutos no estádio de futebol lotado capaz de tirar o fôlego de muitos. Seja no corajoso embate de Irene com o assassino da moça. Ou no final surpreendente, mostrando que os olhos são capazes de esconder até mesmo segredos guardados há 25 anos.

Anúncios