Vencedor do Urso de Prata no Festival de Berlim de 2009, o filme iraniano Procurando Elly conta a história de um grupo de amigos que parte para uma viagem de campo em um final de semana. Entre os convidados, a personagem Elly (Taraneh Alidoosti) parece sentir-se desconfortável em seu jeito introvertido. No grupo, estão personagens como o casal Peyman  (Peyman Moaadi) e Shohreh (Merila Zare’i) com os três filhos, a insegura Naazy (Ra’na Azadivar) e o casal Amir (Mani Haghighi) e Sepideh (Golshifteh Farahani). Todos incentivam o romance dela com o simpático Ahmad (Shahab Hosseini), um divorciado que mora no exterior e pede à amiga Sepideh que lhe apresente uma moça. É aí que ela insiste para que Elly, professora de sua filha, faça parte da viagem.

Nesse ambiente de descontração, o grupo acaba tendo seus planos alterados e vão parar em uma casa praticamente abandonada, à beira mar. Entre jogos de mímica, vôlei e a diversão de incitarem o romance entre Ahmad e a jovem, o grupo percebe que Elly é muito calada, especialmente a desconfiada Shohreh.

Porém, certo dia, enquanto observa o filho de Peyman e Shohreh na margem da praia, Elly desaparece, sem deixar pistas. A Guarda Costeira vasculha o mar e nem sinal da moça. E é a partir daí que Procurando Elly muda totalmente seu ritmo e trama para darem lugar ao desespero de seus personagens, especialmente Sepideh, que sente-se culpada, pois impediu de todas as maneiras que Elly voltasse para casa e sim que permanecesse até o final.

Dada como morta – porém sem nenhum vestígio de seu cadáver – os personagens entram em um redemoinho de conflitos, acusações, culpa, honra e suposições que fará com que o filme ganhe em tensão e empatia com seu espectador. Afinal, a situação apresentada é exposta com tanta veracidade que acreditamos e nos imaginamos nela. Além disso, o segredo que Elly tanto escondeu, acaba vindo à tona, fazendo com que os nervos dos personagens fiquem à flor da pele.

Com direção segura de Asghar Farhadi, baseado em história de sua autoria com Azad Jafarian, Procurando Elly traz um elenco empático e carismático, reforçado por interpretações sinceras, especialmente da bela Golshifteh Farahani, intérprete de Sepideh, epicentro dos conflitos ao redor do desaparecimento de Elly. E todos vão descobrir que os segredos terão um efeito bola de neve e devem ser revelados para desfazer o emaranhado de mentiras que a situação acarretou.

Emocionante, com belo uso da fotografia e um ritmo primoroso – que diminui a partir da metade do filme, dando lugar a um bem cuidado suspense dramático – Procurando Elly já ocupa um belo lugar na filmografia do cinema iraniano.

Anúncios