Lançado em 1998, Não Conte a Ninguém é um filme peruano dirigido por Francisco J. Lombardi, com roteiro de Giovanna Pollarolo e Enrique Moncloa que parte do livro de Jaime Bayli.

Acompanhamos, desde criança até a juventude, a descoberta da homossexualidade de Joaquín (Santiago Magill). Filho de pais conservadores e religiosos, ele tem de lidar com o rude pai Luis Felipe (Hernán Romero), um autoritário machista que quer a todo custo “transformar o filho em um homem de verdade”. Sessões de boxe, caça e até a visita a um prostíbulo fazem parte da rotina que o pai quer para o filho, exibindo-o como um troféu masculino. A mãe, Maricucha (Carme Elias), é uma perua que parece estar alheia ao que acontece ao seu redor.

Joaquín cresce e, no meio desse ambiente hostil, precisa lidar com as piadas, o dilema consigo mesmo e a pressão do pai. Após entrar na universidade, conhece Alejandra (Lucía Jiménez), que logo se torna sua namorada, porém a relação dos dois na cama nunca se concretiza e Joaquin acredita ser impotente. Ela tenta ajudá-lo a se “curar”, mas é quando ele conhece Gonzalo (Christian Méier), rapaz noivo de Rocio (Lita Baluarte) e os dois se tornam amantes.

Nesse turbilhão de dúvida e angústia, Joaquín vai se entregando às drogas e entre um caso e outro, sofre com o preconceito dos próprios gays, que consideram a homossexualidade uma espécie de hobby, uma diversão e recusam-se a assumir sua verdadeira orientação sexual.

Entre noites de esbórnia regada a muita bebida e drogas, o jovem vai se descobrindo ao mesmo tempo que recusa-se a ser o que é, tanto por pressão dos pais como do próprio país, que exibe a capital Lima como um lugar pobre, preconceituoso e reduto do tráfico de entorpecentes.

Mesmo com algumas atuações forçadas, Não Conte a Ninguém pode agradar aos fãs do gênero graças aos personagens cativantes e sua trilha sonora pop latina. Perdido em relação ao mundo e a si mesmo, Joaquín parte numa busca de algo que talvez nem ele saiba o que é.

O título se refere ao pedido que Joaquín faz sempre que tenta algo com outro rapaz, temendo que seu segredo seja descoberto. Com um final apressado e, de certa forma,  redentor, Não Conte a Ninguém mostra que viver na mentira pode ser a atitude mais cômoda e menos dolorosa para alguns.

Anúncios