Quando foi filmado, em 1987, Baleias de Agosto tinha, basicamente, cinco atores em seu elenco: Bette Davis, Lillian Gish, Ann Sothern, Vincent Price e Harry Carey Junior. Se somarmos a idade de todos os cinco àquela época, a conta atinge surpreendentes 394 anos.

Considerado um dos mais belos filmes já feitos sobre a velhice, Baleias de Agosto é mais do que números. Na verdade é uma dedicatória final a duas rainhas do Cinema: Lillian Gish e Bette Davis, que já estavam no fim de suas carreiras. Davis, aos 79 anos, faria apenas mais um filme; e Gish, com 93, tornou-se uma das atrizes mais velhas a atuar no Cinema (o título pertence, hoje, à nossa Dercy Gonçalves, que atuou aos 101 anos em Nossa Vida Não Cabe Num Opala, de 2008).

Dirigido pelo britânico Lindsay Anderson (Homem de Sorte, Se…), Baleias de Agosto é baseado na peça de David Benny, que adaptou a própria obra para o cinema e conta a história das irmãs Sarah (Lillian Gish) e Libby (Bette Davis), que vivem em uma casa litorânea esperando a chegada das baleias, que costumam aparecer no mês do título.

Ali elas, em sua rotina, terão suas vidas modificadas com a chegada do simpático Sr. Maranov (Vincent Price), um senhor refugiado da Revolução Russa de 1917. Além de Maranov, as velhas irmãs convivem com a espirituosa Tisha (Ann Sothern, indicada ao Oscar pelo papel), amiga de infância de ambas, e com Sr. Breckett (Harry Carey Jr.), o barulhento e espalhafatoso faz-tudo da região.

É nesse ambiente que o grupo convive, em um filme recheado de delicadeza e que nunca cai no melodrama. Com bela fotografia repleta de imagens litorâneas, Baleias de Agosto preza pela nostalgia inerente ao filme, de duas atrizes que atingiram seu auge e tem uma última grande homenagem.

Ainda é possível reconhecer o olhar impactante de Bette Davis, que lhe rendeu status de deusa do cinema hollywoodiano. Gish exibe um semblante sempre delicado e carinhoso em suas cenas, em uma rotina na casa que ambas cresceram juntas e ainda moram nos últimos anos de vida.

Libby, que está praticamente cega, mal enxerga suas roupas e mantém uma forte amargura (bem ao estilo Bette Davis), enquanto Sarah ocupa-se, não parou no tempo: pinta, faz artesanato, conversa com as pessoas eternizadas nas fotos dos seus porta-retratos.

Baleias de Agosto pode parecer um filme parado, morno, mas é emocionante acompanhar a vida desses personagens, que passaram por tanta coisa e vivem, no final, de suas lembranças. Para quebrar um pouco a melancolia do longa, temos a animada Tisha, que traz o humor e a vitalidade que as irmãs perderam com o tempo, além da experiência do Sr. Maranov, que traz um pouco da realeza para a pacata vida dos moradores da região.

Para duelar no humor com Bette Davis, temos Johnson Breckett, o barulhento faz-tudo que inferniza a vida da ranzinza irmã e é vivido pelo ator Harry Carey Junior. Entre sessões de chá, discutem o passado e presente, enfrentando os problemas da velhice juntos, com suas lembranças que se dividem entre caixas e a própria memória de seus personagens.

Essencial e emocionante, Baleias de Agosto é um filme imperdível.

Anúncios